Olá leitores e leitoras desse nosso mundinho literário,
Como vcs estão?

     Hoje eu vim aqui, primeiramente, pra me desculpar pela ausência nesses 4 meses que eu fiquei sem postar. Confesso que vários fatores compilaram pra isso, entre eles a falta de tempo e o desanimo com todo o corre corre de vestibular e mudança de escola.

     Por isso achei legal criar um projeto, junto com o @oxegaroto do instagram, com temas semanais que animassem eu e os outros blogs a postar com frequência e ter uma maior interação <3
       O #ProjetoDeFeriasParaBlogs ou #PFPB (parece até nome de partido né?! ashuashua)
     Quem quiser participar pode falar comigo por aqui ou pelo insta que eu coloco no grupo do WhatsApp *-*

     SEM MAIS DELONGAS, o tema dessa semana foi "Empoderamento Feminino".
  Pra quem não sabe empoderamento feminino é o ato de conceder o poder de participação social às mulheres, garantindo que possam estar cientes sobre a luta pelos seus direitos, como a total igualdade entre os gêneros, por exemplo.
     Eu achei que seria legal falar desse tema trazendo para o plano literário, então eu separei alguns topicos que eu estava realmente animada para falar!




- Autoras que constroem personagens femininas fortes

    Falar de grandes personagens femininas hoje em dia nem é dificil, temos muitas personagens literalmente guerreiras, como a Katniss (de Jogos Vorazes) e a Tris (de Divergente). Mas com o adjetivo forte eu quis também dizer personagens bem construidas. Mulheres, autoras, que criaram toda uma historia e estruturaram personagens fortes, por tudo que enfrentaram e iriam enfrentar, ou ainda personagens que estariam descobrindo sua força. Personagens tão humanas quanto nós, mas que justamente por isso lutaram.

     Por isso decidi falar de um dos livros da Rainbow Rowell: Eleanor&Park. Nele temos a história da Eleanor, uma menina que vive com a mãe (em seu segundo casamento) e com outros irmão menores. Acompanhamos a mudança de escola de Eleanor, que além de novata não se encaixa no nosso padrão de beleza de magra, alta e feminina. Para variar o padrasto dela é horrivel com a mãe, com ela e os irmãos menores, inclusive ele ameaça Eleanor em um momento da historia e escreve xingamentos em seus cadernos. Quando eleanor acha um amigo, esse padrasto quer ela longe dele, diz que ela só tem essa amizade porque ela está tendo um caso com Park. Eleanor aguenta tudo, e ainda cuida dos irmão na casa pequena e tem sonhos, ela gosta de pintar e não vê a hora de poder ser "livre".
Eu sinceramente me apaixonei pela história e acho que Eleanor é uma dessas personagens forte!


- Poetisas com textos tocantes

     Claro, esse tópico é um pouco relativo, pois o que me toca pode não tocar vocês da mesma forma, mas mesmo assim eu quis trazer um poemas que me diz "Continue. Continue independente de.".
     Continuar, sendo quem somos, continuar lutando, continuar vivendo, continuar tentando, continuar acreditando... As vezes é tão dificil continuar. E como o tema do post é Empoderamento Feminino, acho que esse é um bom poema pra nos animar a continuar mesmo diante do mundo.

Autotomia
Wislawa Szymborska

Diante do perigo, a holotúria se divide em duas:
deixando uma sua metade ser devorada pelo mundo,
salvando-se com a outra metade.

Ela se bifurca subitamente em naufrágio e salvação,
em resgate e promessa, no que foi e no que será.

No centro do seu corpo irrompe um precipício
de duas bordas que se tornam estranhas uma à outra.

Sobre uma das bordas, a morte, sobre outra, a vida.
Aqui o desespero, ali a coragem.

Se há balança, nenhum prato pesa mais que o outro.
Se há justiça, ei-la aqui.

Morrer apenas o estritamente necessário, sem ultrapassar a medida.
Renascer o tanto preciso a partir do resto que se preservou.

Nós também sabemos nos dividir, é verdade.
Mas apenas em corpo e sussurros partidos.
Em corpo e poesia.

Aqui a garganta, do outro lado, o riso,
leve, logo abafado.

Aqui o coração pesado, ali o
 Não Morrer Demais,
três pequenas palavras que são as três plumas de um voo.

O abismo não nos divide.
O abismo nos cerca.

     Esse poema ficou em minha cabeça quando minha professora de literatura leu para a sala na semana do Setembro Amarelo da minha escola. Gosto dessa parte em especial "Morrer apenas o estritamente necessário, (...) Renascer o tanto preciso a partir do resto que se preservou." pois ela me faz lembrar que as adversidades nos mudam, ou até machucam, mas mesmo que parte de nós nunca mais seja a mesma, que renaçamos e continuemos.


-Escritora Negra

    Eu decidi falar da  Chimamanda Ngozi Adichie, escritora Nigeriana que aos dezenova anos se mudou para os EUA e em 2007 ganhou o Orange Prize. Ela é conhecida no Brasil pelo livro "Sejamos Todos Feministas", mas eu queria mesmo é falar do livro dela Americanah.
     Confesso que ainda não li nenhum livro dela, mas não é por falta de vontade (falta dinheiro mesmo pra eu ter um exemplar de seus livros em minhas mão ashuashua).
     Eu vou deixar aqui a sinopse do livro pra ficar como indicação, ele tem uma personagem feminina negra e forte, e só pelo fato de também poder conhecer um pouco da nígera através desse livro eu fico curiosa pra ler!

Lagos, anos 1990. Enquanto Ifemelu e Obinze vivem o idílio do primeiro amor, a Nigéria enfrenta tempos sombrios sob um governo militar. Em busca de alternativas às universidades nacionais, paralisadas por sucessivas greves, a jovem Ifemelu muda-se para os Estados Unidos. Ao mesmo tempo que se destaca no meio acadêmico, ela depara pela primeira vez com a questão racial e com as agruras da vida de imigrante, mulher e negra. 

Quinze anos mais tarde, Ifemelu é uma blogueira aclamada nos Estados Unidos, mas o tempo e o sucesso não atenuaram o apego à sua terra natal, tampouco anularam sua ligação com Obinze. Quando ela volta para a Nigéria, terá de encontrar seu lugar num país muito diferente do que deixou e na vida de seu companheiro de adolescência. 
Principal autora nigeriana de sua geração e uma das mais destacadas da cena literária internacional, Chimamanda Ngozi Adichie parte de uma história de amor para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero. Bem-humorado, sagaz e implacável, Americanahé, além de seu romance mais arrebatador, um épico contemporâneo.

'Em parte história de amor, em parte crítica social, um dos melhores romances que você lerá no ano.' - Los Angeles Times
'Magistral… Uma história de amor épica…' - O, The Oprah Magazine.

Vencedor do National Book Critics Circle Award.
Eleito um dos 10 melhores livros do ano pela NYT Book Review. "



    Creio que dava pra abordar varios outros aspectos nesse tema, mas confesso que estou mesmo feliz de poder ter escrito este post (ainda bem que a internet é um lugar aberto pra essas coisas).
     Espero que vcs tenham gostado!
     Bjsss literários e empoderados pra vcs :*


6 Comentários

  1. Adorei seu texto e as indicações. Já li Americanah e recomendo demais. Não li Eleanor & Park ainda, mas pretendo. Agora, esse poema! Profundo, não conhecia e estou preenchida por ele. Uau!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que vc tenha gostaado Yane *-*
      Simm, só ouvi coisas boas sobre Americanah :3
      Leia e e conte o que achou de Eleanor e Park! é um otimo livro ;)
      Simmm, esse poema é muito profundo, eu simplesmente guardei ele em minha mente e de vez em quando releio!

      Excluir
  2. Olá, tudo bem??

    Antes de qualquer coisa, preciso dizer que seu blog é realmente uma graça, muito lindinho. Parabéns! Quanto à sua matéria, elas está incrível, Adorei poder conferir esse tipo de conteúdo. O empoderamento feminino é um tema que vem sendo bem trabalhado ultimamente e eu acho isso muito bacana. Adorei os tópicos que você trouxe dentro do tema e digo que sou louca para ler esse livro.
    Bem, no mais, boa sorte no projeto e espero poder conferir as próximas matérias. Parabéns pelo trabalho, amei!

    Cris, Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Ingrid, td bem sim :3 e com vc?
      Simm, tbm fico muito feliz desse tema ser cada vez mais falado! o/
      que bom que vc gostou da materia <3 e obg pelo apoio :*

      Excluir
  3. Oi, Raquel, tudo bem?
    Adorei seu post!! Quero ler algo da Chimamanda, estou entre Hibisco Roxo e Americanah. Outra escritora negra que eu quero ler Alice Walker, com o A Cor Púrpura, já ouviu falar? Parece super interessante!! Ah, e acabei de ver aqui que ela é ativista feminista, então isso deve refletir em suas obras :D


    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OII CAROL!
      Que legal! Fico feliz que vc tenha gostado! :3
      Não tinha ouvido falar dela antes, obg pela dica! Já coloquei o nome dela na minha wish list *-*
      bjsss :*

      Excluir